sábado, 2 de outubro de 2021

Manifestação no Rio contra Bolsonaro lembra a possibilidade de privatização da Nuclep


União e faixas de igrejas evangélicas pediam o impeachment do presidente. De forma inédita adversários e partidos políticos se uniram no que eles dizem ser um ato maior do que as diferenças 

Rio de Janeiro  - Reduto eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Rio de Janeiro também foi palco, na manhã e tarde deste sábado, 2, de protestos que ocorreram em todo o país. Os manifestantes se concentraram na Igreja da Candelária, no Centro, seguiram pela Avenida Rio Branco até a Cinelândia.


Durante o evento a possibilidade da privatização da Nuclep em Itaguaí foi lembrada. Na próxima quarta-feira (6), a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços da Câmara dos Deputados irá discutir a proposta de retirar a  Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) do programa de desestatização.Vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a Nuclep é uma estatal que produz
equipamentos para as usinas nucleares do complexo de Angra dos Reis (RJ). Também foi responsável pela fabricação de componentes para o submarino nuclear que está sendo construído pela Marinha.

Partidos unidos pelo Impeachment de Bolsonaro 

Em tal manifestação algo inédito está ocorrendo. Varios partidos políticos que antes jamais se imaginavam ver juntos, estavam unidos no ato. Siglas como PT e MDB que até bem pouco tempo atrás jamais se imaginariam ver juntas, estavam focadas no que se chama de causa maior, que é a saída do Presiente Jair Bolsonaro. Ao todo, mais de 20 partidos e movimentos sociais estão desde as primeiras horas da manhã participando. Siglas como PT, Podemos, PSL, PSOL, PCdoB,PDT, PSD, Rede, PV, Cidadania, Solidariedade, DEM, PSDB, NOVO entre outros, estão juntos com diversos movimentos sociais neste momento. 


Além disso, diversas igrejas evangélicas também participam pelo fora Bolsonaro no Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário