quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

BlackRock diz que não vai mais investir nenhum centavo no Brasil enquanto Bolsonaro for presidente


A BlackRock é dos maiores fundos de investimentos do mundo e com sede nos Estados Unidos. Em meados do último ano, a BlackRock já estaria se aproximando dos US$10 trilhões, 
seis vezes mais do que o PIB registrado pelo país, no ano passado. 


Brasil - Um dos mais importantes fundos de investimentos do planeta decidiu não investir nenhum centavo no Brasil durante o governo de Jair Bolsonaro. Dominik Rohe, head da América Latina da BlackRock, disse em conversa com empresários brasileiros que o fundo só irá retomar os investimentos em nosso país após a chegada de um novo governo.

Em sua justificativa, Dominik citou o negacionismo que já é comum do atual presidente, em meio a um cenário de juros e inflação em alta e também falou sobre o que considerou como excesso de promessas, sem qualquer tipo de retorno, vindas de Paulo Guedes, o ministro da Economia. Ele afirmou que Guedes promete muito e cumpre pouco e que não acredita no andamento de nenhum projeto sequer do ministro em 2022.

No relato, ainda foi dito que o fundo, caso desejasse, poderia dobrar sua presença no Brasil de forma rápida. Em meados do último ano, BlackRock já estaria se aproximando dos US$10 trilhões sob sua gestão, segundo o jornal The Wall Street Journal. Este valor  fica em torno de seis vezes mais do que o PIB que deve ter sido registrado pelo país, no ano passado. 



Após a nota ser publicada, a BlackRock enviou um posicionamento ao portal Radar Econômico. 

Confira o que foi dito:

“A BlackRock é uma gestora de ativos global e diversificada. Somos investidores de longo prazo. Estamos no Brasil desde 2008 e já investimos no país muito antes disso. Seria antitético no nosso papel como fiduciário excluir oportunidades de investimento em uma das maiores economias do mundo das opções que oferecemos a nossos clientes. De fato, só contando iShares, administramos o maior fundo de ações no Brasil, o BOVA11, maior fundo de ações que investe em empresas brasileiras, o EWZ”. 

O governo Bolsonaro termina no fim deste ano e a próxima eleição promete uma nova disputa polarizada em todo o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário